TK-QM-LOGO-REV00

Tenho certeza que você já ouviu aquela expressão: Tal pessoa tem um “Q” a mais … Você conhece aquele profissional … ele tem um “Q” a mais … Nossa aquela mulher realmente tem um “Q”  a mais!

E você tem um Q a mais? O seu querer está elevado? Já foi um dia? Sua energia íntima, seu entusiasmo, vontade, paixão nas atividades que executa … estão alinhadas na sua vida? Você sente que sua vida tem siginificado?

Esse “Q” a mais está inserido no Método QM que desenvolvi com a proposta de que você alinhe sua vida em um propósito. Resgate seu QM. Faça um caminho diário para isso. E um acompanhamento é imprescindível nesse momento. Não precisa ser sozinho. Até porque você só enxerga limites em você mesmo e em tudo o que faz. Quando sua visão é ampliada, começa a enxergar horizontes distantes, descobre em si mesmo um potencial adormecido. Aos pouco você vai acessando suas chaves internas e se plugando a um mar de possibilidades e oportunidades que existem lá fora. Se você olhar pra dentro vai exalar lá fora! Faz sentido pra você?

Rumo ao QM!

Silvana Girardi

Especialista em Resgatar – Reencontrar – Manter  – o QM ….Alinhado ao Propósito de Vida.

www.coachingcomasil.com.br

Vamos lá!   gato dormindo

1. REPOUSE sempre que puder. Relaxe o corpo, deixando que fique mole como uma meia velha. “Quanto a mim, conservo uma meia marrom e velha sobre minha mesa, enquanto trabalho, para me lembrar de como é que devo relaxar os músculos.” Se você não tiver uma meia velha, um gato servirá. Você já ergueu alguma vez um gatinho que estivesse dormindo ao sol? Se fez isso, já viu que as suas extremidades estavam tão moles quanto um jornal molhado…..até mesmo os iogues da Índia dizem que, se quisermos aprender a arte do relaxamento muscular, devemos observar os gatos. Eu nunca vi gato em colapso nervoso, um gato sofrendo de insônia, preocupações ou ulceras no estômago. Você provavelmente evitará estas tragédias, se aprender a repousar como os gatos!

2. Trabalhe tanto quanto possível, numa posição confortável. Lembre-se de que as tensões sobre o coro geram dores nas costas e fadiga nervosa.

3. Examinem-se quatro ou cinco vezes por dia, perguntando a si mesmo: “Será que estou tornando o meu velho trabalho mais árduo do que realmente ele é”? Estarei usando músculos que nada tem a ver com o trabalho que estou realizando?

4. Analise-se novamente no fim do dia, perguntando a si próprio: “como me sinto quanto ao cansaço? Se estou cansado, não é por causa do trabalho mental que realizei, mas devido a maneira porque o fiz”.

Julgo o trabalho que realizo não pelo cansaço que sinto ao fim do dia, mas pelo cansaço que não sinto… Quando me sinto particularmente cansado no fim do dia, ou quando a irritabilidade me diz que os meus nervos estão exauridos, sei, sem a menor sombra de dúvida, que aquele foi um dia improdutivo, tanto quanto a quantidade, como quanto a qualidade do trabalho realizado… Se cada um dos homens de negócios do mundo aprendesse esta lição, a média de falecimentos entre nós, causados pela hipertensão, cairia da noite para o dia. E deixaríamos de encher os nossos sanatórios e casas de saúde com pessoas destroçadas pelas fadigas e pelas preocupações.

 Um final de semana muito alegre!

Silvana Cammarano

Ponto por Ponto, você chega!

esqueci

Isto já aconteceu com você? Comigo aconteceu ontem. Já havia saído de casa e dei-me conta de que ele não estava comigo… Ou era eu quem não estava com ele? Estava nua! Sensação primeira. A segunda: e agora, o que é que eu faço?

Nesta era tecnológica somos os engajados conectados e ao mesmo, alienados de nossas próprias emoções, pra não dizer alienados do nosso próprio “eu”. É incrível o movimento que causa o esquecimento de um aparelho que hoje comanda nossa rota diária. Já que não tive oportunidade de buscá-lo em casa, pensei: – relaxa e espera, se alguém te procurar e for urgente, te encontrarão! Assim aproveitei para ligar-me em outros sinais de notificação, que não os do celular… Já parou pra pensar a quantidade de apitos sonoros que você escuta nas 24 horas do seu dia? Até dormindo seu bichinho virtual trabalha. Às vezes ao lado, na cabeceira, outras no chão, ou embaixo do travesseiro… Engraçado como este aparelho domina o ambiente. Quando eu era criança, e não faz tanto tempo assim, não tinha telefone em casa e fiquei durante muitos anos sem tê-lo, nenhuma falta ele fazia. Realmente as mudanças são rápidas e drásticas, sempre os dois lados da moeda: GANHOS E PERDAS!

Esta experiência foi boa, fiquei antenada em outras questões: qualidade de vida, onde começa? Eu tenho que fazer meu ritual diário, dramático em certos pontos e ao fim do dia, exausto, chegar em casa para que, em 2 horas,tentar ter qualidade?!?. Você já pensou em desligar seu aparelho celular, por exemplo, apenas 1 hora no seu dia? Que impacto isto lhe causaria? Nada de facebook, whatsap, internet, SMS,Twiter….em que você investiria seu tempo? Tempo? Ele não é precioso para você? Faça esta experiência, depois me conta!

1 abraço!

Silvana Cammarano

© 2014 Silvana Girardi - Coach & Psicóloga